quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Arquivos Insólitos 97


O Globo, 09 de Dezembro de 1957

Caças alemães em escolta avistam suposto OVNI


 
A Força Aérea entrou em ação após uma aeronave ficar sem comunicação e algo mais chamou a atenção.
 
 
Um vídeo divulgado no domingo (19) referente a uma intervenção pela defesa aérea da Alemanha causou a curiosidade de todos no início da semana.


Um voo da empresa indiana Jet Airways estava se deslocando de Mumbai para Londres, quando ficou sem comunicação por alguns minutos.


Por questões de segurança, a Força Aérea da Alemanha deslocou dois aviões de caça para garantir a segurança da aeronave e tentar verificar a situação do voo que até então estava sem contato. Minutos depois a situação foi resolvida, restabelecendo contato e garantindo a segurança do voo.


Porém, não foi apenas este fato que chamou a atenção. Espectadores analisaram o vídeo e perceberam a aparição de um objeto voador não identificado durante a gravação. Um ponto negro se desloca em alta velocidade muito próximo aos jatos e em direção transversal ao percurso que eles faziam.


video




Documento oficial aponta relatos 25 anos antes do Caso ET de Varginha



 
 
Informação sigilosa ficou nos arquivos do governo durante 46 anos. Moradores relataram presença de OVNIs na cidade em 1971.
 
 
Um documento do Ministério da Aeronáutica mostra que Varginha (MG), conhecida como a "Terra do ET", pode ter sido visitada por seres de outro planeta muito antes do famoso caso de 1996. Conforme o documento, há registro de moradores que disseram ter visto um Objeto Voador Não Identificado (OVNI) na cidade em 1971. Durante 46 anos, o documento ficou guardado sob sigilo nos arquivos do governo e só na semana passada foi divulgado pelo Arquivo Nacional.


Conforme o documento, o OVNI teria aparecido durante a noite, por volta de 19h. O dia correto da aparição não é informado. O objeto seria oval e prateado. Na época, fazendeiros e comerciantes confirmaram terem visto o objeto para as autoridades.


Segundo o documento, o Ovni foi visto na Vila Mendes e na Rua Rio de Janeiro, onde ficou parado por alguns instantes. Depois, ele foi visto no Clube Campestre. O documento ainda relata que o OVNI ainda sobrevoou a Escola de Sargentos das Armas EsSA, em Três Corações (MG). Segundo relatos, o objeto ficou parado próximo ao telhado de uma casa. O barulho era tão forte, que uma moradora teria perdido os sentidos.


O relato mais famoso de supostas aparições ocorreu em 1996, quando Varginha ficou mundialmente conhecida pelo suposto aparecimento de seres de outro planeta. Duas irmãs e uma amiga disseram ter visto uma criatura não humana.  
 

O documento somente confirmou a história que moradores da cidade sempre acreditaram. "Eu pude observar que do lado da Rua Rio de Janeiro subiu um objeto que causou grande transtorno, queimando rádios, dando defeitos em carros, queimando transformadores e havendo um corte de iluminação naquelas imediações", disse o aposentado Geraldo Bichara.


Seu Arcelino Barbosa tinha 10 anos na época e diz que notou algo estranho no céu. "Realmente eu vi alguma coisa luminosa e aquilo chamou atenção na época das crianças que estavam ao meu lado brincando", disse o atendente Arcelino Barbosa Filho.


Para ufólogos, a divulgação do documento reforça ainda mais a convicção da existência de vidas em outros planetas.


"Esses avistamentos ocorrem em todo o Brasil a todo o momento, em todo o mundo a todo o momento, Minas Gerais, o interior de Minas Gerais tem uma rica característica de fenômenos ufológicos", disse o ufólogo Thiago Luiz Ticchetti.


video



Fonte: G1

'Menina fantasma' apavora Espanha


 
O pequeno município de Vegas del Genil, na província de Granada, na Espanha, ficou famoso depois de uma fotografia tirada em um dos corredores da prefeitura local ser enviada por muitos no WhatsApp. O que há de diferente na imagem?


Na fotografia é possível distinguir uma silhueta do que parece ser uma "menina fantasma". Os habitantes locais especulam todos os tipos de histórias em torno da aparição. 


A fotografia supostamente foi tirada por um vereador que pediu anonimato, mas revelou ao diário Ideal de Granada detalhes do evento.


"Fazia um frio anormal na Câmara Municipal. Coloquei o casaco e fui ao banheiro. Então eu comecei a ouvir barulhos estranhos no final do corredor, como se alguém estivesse arrastando uma caixa de papéis. Logo eu gritei ‘José Miguel!' pensando que era o entregador. 
 
 
Mas já fazia muito tempo que não estava na prefeitura. <…> Meu celular não tem lanterna, então liguei a câmera do telefone, tirei uma foto do corredor para que o flash iluminasse e fiquei tranquilo, pois não havia ninguém, não vi nada." 


Então, continua ele, ao voltar para o seu escritório, ele viu a fotografia, entrando "em estado de pânico".



"Fechei as portas do escritório, não era capaz de sair. Enviou a mensagem ao grupo do WhatsApp do Governo, onde, como era de esperar, consideram-na piada." 


No entanto, a história se espalhou e outros funcionários da prefeitura revelaram que também tinham observado fenômenos paranormais na prefeitura, entre eles foram citados quedas de temperatura e ruídos inexplicáveis. 


O evento paranormal também foi registrado no mapa da cidade de Vegas del Genil. Segundo fontes municipais citadas por Verne, "várias associações especializadas em fenômenos paranormais registaram pedidos para estudar o caso". No entanto, o prefeito do município não está disposto a permitir que a história continue crescendo. 


"Estamos fazendo muitas coisas boas no povoado para ele não ficar famoso somente por esta história", declarou ele.




Fonte: Sputnik

Após descoberta sobre genes, mamutes “podem voltar a fazer parte do planeta em dois anos”






Após milhares de anos de extinção, os mamutes podem voltar a andar sobre a Terra, agora que cientistas dizem ser capazes de criar um embrião da espécie, dentro de dois anos.


O geneticista George Church e uma equipe da Universidade de Harvard estão tentando recriar os animais extintos usando o DNA encontrado em uma camada de gelo no Ártico.


A equipe de Church examinou o DNA preservado em busca dos genes que separam os mamutes dos elefantes, como aqueles responsáveis pela grande quantidade de pelo dos mamutes.


Agora, eles esperam juntar esses genes no embrião de um elefante, criando um híbrido que terá as características de um mamute.


A tecnologia, caso seja bem sucedida, pode ajudar a salvar outras espécies à beira da extinção, dizem os pesquisadores.


A equipe está trabalhando nas 45 “variáveis” dos genes dos mamutes, combinando-as com o DNA de um elefante. O próximo passo é usar um útero “artificial” para gerar o embrião.


O Professor George Church, que dirige a equipe de Harvard nessa experiência, disse: “Estamos trabalhando nas maneiras de avaliar o impacto de todas as variáveis e tentando estabelecer uma embriogênese em laboratório”.


“A lista de variáveis envolve várias características que garantiam a sobrevivência dos mamutes em ambientes frios. Elas incluem orelhas pequenas, gordura subcutânea e pelos, mas há outras seleções ainda a serem feitas”.


“Nosso objetivo é produzir um híbrido entre mamute e elefante. Na verdade seria mais como um elefante com vários traços de mamute. Ainda não chegamos lá, mas isso pode acontecer dentro de poucos anos”.


Várias equipes ao redor do mundo estão tentando produzir um clone de um mamute usando células de restos congelados e um óvulo de elefante, mas é difícil encontrar material genético de qualidade para tanto.
Os mamutes se tornaram extintos há cerca de 10.000 anos.


O aquecimento global está derretendo o gelo no leste da Rússia, levando a descobertas de um bom número de mamutes congelados.




Fonte: Yahoo!

Mulher diz ter sido atacada por 'lobisomem' em cidade no interior do MS



A Polícia Militar de Iguatemi, no Mato Grosso do Sul, foi chamada na madrugada de terça-feira (21) para atender a uma ocorrência, no mínimo, estranha: uma mulher afirmava ter sido atacada por um lobisomem.


O relato foi feito pela professora Regina de Abreu, de 55 anos, que contou que ia visitar a filha na casa dela quando, ao passar por um local com mato alto no bairro Waloszek Konrad, viu um animal de grande porte e muito peludo avançar contra seu carro. O marido de Regina, que estava ao lado dela, disse que não viu nada.




Ao parar o carro, o casal foi abordado por uma moradora que disse ter visto um animal estranho, parecido com um lobisomem, tentando atacar o carro de Regina. Em seguida, ele teria fugido pela mata. 


O caso não é novidade entre os moradores da região: cerca de 30 residentes do bairro já afirmaram, em outras ocasiões, terem visto o animal. Eles se reuniram e foram em busca dele, armados com pedaços de pau e foices. O grupo chamou a PM, que também fez buscas pela região e registrou boletim de ocorrência. Os moradores disseram que irão fazer novas buscas hoje.


A cidade de Iguatemi fica a cerca de de 451 quilômetros de Campo Grande e tem cerca de 15 mil habitantes.




Fonte: Rede TV

Cientistas descobrem novas espécies de rãs minúsculas na Índia










Quatro novas espécies de rãs noturnas minúsculas, tão pequenas que cabem em uma unha, foram descobertas em uma zona de montanha do sul da Índia, segundo um relatório publicado na terça-feira. 


Os cientistas passaram cinco dias estudando a rica fauna da cordilheira dos Gates Ocidentais (sudoeste da Índia), indica o estudo, publicado na revista científica PeerJ.


"As espécies diminutas são localmente abundantes e estão bastante estendidas, mas provavelmente passam despercebidas devido ao seu tamanho extremamente reduzido, seu habitat discreto e seus sons, similares aos dos insetos", declarou a pesquisadora Sonali Garg, citada no artigo. 


Estas rãs minúsculas medem até 15,4 milímetros de comprimento e vivem na vegetação florestal úmida. 


A equipe também relatou a descoberta de outras três espécies de rãs noturnas (Nyctibatrachus). 


As sete novas espécies descobertas -  A. Rã noturna de Radcliffe,  B. Rã noturna de Athirappilly,  C. Rã noturna de Kadalar, D. Rã noturna de Sabarimala,  E. Rã noturna de Vijayan, F. Rã noturna de Manalar,  G. Rã noturna de Robin Moore



As rãs noturnas indianas se separaram evolutivamente das outras rãs há 70 ou 80 milhões de anos, formando um grupo particularmente antigo. 


Na última década, foram registradas mais de 100 novas espécies de rãs na região, mas os cientistas alertam contra os riscos ecológicos que ameaçam sua sobrevivência. 


"Um terço das rãs dos Gates Ocidentais já estão em risco de extinção", afirmou S.D. Biju, diretor da pesquisa. 


Um relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) de 2016 advertiu que em 2020 a população de peixes, aves, anfíbios, mamíferos e répteis poderá ser dois terços menor do que era 50 anos antes. 




Fonte: UOL

Astrônomos descobrem sistema com 7 exoplanetas, e eles podem ter água







"Não, nós não encontramos ETs, mas nossa descoberta pode ajudar na busca da vida fora do nosso Sistema Solar." A descoberta anunciada pelo ESO (Observatório Europeu do Sul) não é aquela que buscamos há tanto tempo, mas mantém nossa esperança.


Sete exoplanetas foram descobertos orbitando uma estrela próxima, a cerca de 39 anos-luz de distância, de acordo com comunicado feito pela Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) na quarta-feira (22). E as condições de alguns deles podem ser favoráveis para água em estado líquido.


A estrela anã que fica no centro desse sistema estelar, como se fosse o nosso Sol, é chamada de TRAPPIST-1, e é um pouco maior que Júpiter (o planeta é cerca de 12 vezes maior que a Terra). Um dos autores da pesquisa, Michael Gilion, explica que se o nosso Sol fosse do tamanho de uma bola de basquete, a TRAPPIST-1 seria uma bola de golfe.


Estimativas iniciais sugerem que os novos planetas têm massas semelhantes à da Terra e composições rochosas. Para você ter uma ideia, os maiores exoplanetas, o primeiro (por ordem de proximidade da estrela) e o sexto, são 10% maiores que a Terra. Já os menores, o terceiro e o sétimo (o mais distante da estrela), são 25% menores que nosso planeta. A descoberta foi feita em parceria entre astrônomos de todo o mundo, usando telescópios da Nasa e do ESO.


Este é o sistema com o maior número de planetas tão grandes quanto a Terra já descoberto, bem como aquele que tem o maior número de mundos que podem ter água líquida. Antes disso, o sistema com mais exoplanetas já descoberto tinha apenas três planetas.


A descoberta nos dá uma pista de que encontrar outra Terra não é uma questão de 'se' [ela existe], mas de 'quando'."

Thomas Zurbuchen, diretor da área de missões científicas da Nasa 


Infelizmente, você não deverá estar vivo quando os astronautas conseguirem chegar até os planetas, mas os pesquisadores prometem mais novidades sobre o sistema em apenas cinco anos.


Pode ter água por lá?


A ilustração mostra como deve ser o sistema planetário de TRAPPIST-1 com base nos dados disponíveis sobre os diâmetros, massas e distâncias dos exoplanetas 


As análises, publicadas na Nature, indicam que em ao menos seis deles as temperaturas na superfície devem variar entre 0ºC e 100ºC, mas não é possível confirmar que exista água em estado líquido. Ainda é preciso buscar por mais dados.


"Com as condições adequadas da atmosfera, pode ter água em qualquer um dos desses sete planetas. Principalmente em três deles, que estão em localizações privilegiadas", explicou Zurbuchen, durante anúncio.



Três exoplanetas no meio do sistema são os mais prováveis de ter água em estado líquido 


As hipóteses mostram que talvez nos três mais próximos da TRAPPIST-1 seja muito quente para água ficar líquida e não evaporar. No mais distante, é possível que exista gelo. Mas três exoplanetas (o quarto, quinto e o sexto) são os com maior probabilidade de ter vida fora da Terra, por estarem em uma zona habitável com possíveis oceanos. No caso do Sistema Solar, por exemplo, Vênus, Terra e Marte são os planetas na zona habitável.

Cientistas vão continuar estudando o solo e também a atmosfera, para ver se é possível encontrar água e sinais de vida.


Temos mais detalhes?


Ilustração mostra como seria possível ver os outros exoplanetas do sistema no céu 



Durante a pesquisa, os astrônomos também descobriram características importantes e curiosas sobre os sete exoplanetas.

Por exemplo, os cientistas afirmam que se você puder ficar na superfície de um dos mundos e de olhos no céu, você verá os outros seis planetas maiores do que nós, terráqueos, vemos a Lua.


Os sete planetas são tão próximos que viagens interplanetárias seriam feitas em dias, e não em meses ou anos como acontece no nosso sistema.


Outra característica é que a iluminação dos planetas deve ser semelhante à que temos em Vênus, Terra ou Marte.


Além disso, é possível que alguns, se não todos os planetas, estejam sempre com a mesma face virada para a estrela, um fenômeno chamado de "tidal locking", como acontece com a Lua em relação à Terra.


O planeta mais próximo da TRAPPIST-1 demora apenas um dia e meio para orbitar a estrela. O mais distante deve demorar cerca de 20 dias. Lembre que a Terra demora 365 dias para dar toda a volta no Sol.


As pesquisas não mostram se os exoplanetas têm luas. Mas de acordo com Gilion, "seria estranho ter luas tão perto de uma estrela, estudos ainda esclarecerão essa questão". Se não tiverem o satélite natural e tiverem oceanos, a proximidade entre os exoplanetas pode influenciar no movimento das ondas, assim como a Lua faz na Terra.


Como foi a descoberta?


Ilustração da Nasa mostra a proporção entre os novos exoplanetas e alguns planetas do Sistema Solar


Em maio de 2016, Michael Gillon e sua equipe encontraram três exoplanetas girando em torno de uma estrela anã, na constelação de Aquário. Empolgados com a novidade, os cientistas realizaram uma campanha de monitoramento da estrela a partir do solo e do espaço para saber mais sobre os planetas.


Na Terra, a pesquisa usou observações do instituto STAR, na Universidade de Lieja, na Bélgica, o telescópio de Liverpool, operado pelo Instituto de Pesquisa de Astrofísica da Universidade John Moores, na Inglaterra e do Very Large Telescope do ESO, no Chile.


No espaço, o grande aliado foi o telescópio espacial da Nasa chamado Spitzer, que observou a TRAPPIS-1 por 21 dias em 2016 e conseguiu 500 horas de material.


Os astrônomos analisaram as variações no brilho da estrela e anotavam de quanto em quanto tempo havia uma sombra, momento em que um exoplaneta estava passando pela estrela anã.


Com os dados recolhidos, já foi possível saber o tempo de translação, a distância da estrela, a massa e o diâmetro de alguns dos sete exoplanetas.


Os astrônomos afirmam que informações adicionais são necessárias para caracterizar com mais detalhes os novos planetas, particularmente o sétimo (o mais distante da estrela), que só foi registrado pelo Spitzer uma vez, e ainda não foi possível descobrir seu período orbital e sua interação com os outros exoplanetas.



Fonte: UOL

Homem encontra carcaça de criatura misteriosa em praia na Inglaterra




O britânico Chris Crane, de 61 anos, encontrou uma carcaça misteriosa em uma praia na Cornualha, na Inglaterra, e pediu ajuda nas redes sociais para identificar o animal.


A criatura de 2,4 metros, que lembra uma cobra, foi avistada pelo homem enquanto ele caminhava com a esposa, Amanda, pelo local.


"De início pensei que fosse um golfinho ou uma foca, mas, quando olhei de perto, percebi que era algo maior e num formato estranho", disse ele, segundo o Metro.co.uk.


Disposto a descobrir a origem da estranha carcaça, o homem recorreu ao Twitter para pedir ajuda a internautas: "Alguém sabe o que é essa criatura que apareceu na praia? Está ali faz alguns dias e está começando a feder". 


Até o momento não há informações sobre o que é a criatura. No entanto, alguns apontaram que poderia tratar-se dos restos de uma criatura mitológica: o lendário Morgawr, uma espécie de serpente marinha gigante.



Fonte: Rede TV

Construção de McDonald's próximo a Roma revela parte da Via Ápia












A construção de um restaurante da rede americana de fast-food McDonald's próximo a Roma permitiu descobrir uma ramificação da via Ápia de mais de dois mil anos de antiguidade. 


Nos restos romanos exibidos sob o restaurante em Frattocchie (município de Marino, ao sul de Roma) é possível apreciar, além disso, as réplicas de três esqueletos femininos achados junto à via, explicou nesta quarta-feira à Agência Efe uma porta-voz da rede americana. 


A rua, revestida por lajes de pedra silica surpreendentemente bem conservadas, tem 45 metros de comprimento e mais de dois de largura, e foi descoberta no final de 2014, quando a conhecida rede de fast-food preparava a construção de um de seus restaurantes. 


O achado arqueológico está sob a estrutura do restaurante e pode ser visitado sem necessidade de ser cliente do mesmo. 


O McDonald's entrou em contato com a Superintendência de Arquelogia do Ministério de Bens e Atividades Culturais italiano, e, após a contribuição de 300 mil euros e quase três anos de trabalhos, o "restaurante-museu" foi inaugurado sobre a considerada ramificação da milenar via Ápia, que conta com 2,3 mil anos de história. 


"Isto é o testemunho de que modernidade e cultura antiga podem conviver", declarou em comunicado o responsável do McDonald's Itália, Mario Federico. 


Além da estrutura arqueológica, os visitantes podem observar o molde dos três esqueletos que foram achados junto à via, e que segundo a explicação de Alfonsina Russo, superintendente de Arqueologia de Roma, foram sepultados quando a rua já não era utilizada, ao redor do século II d . C.


A entrada na área arqueológica é gratuita e independente do acesso ao restaurante. A zona conta com cartazes explicativos, em italiano e em inglês, e com uma versão e um itinerário para crianças. 


Mas também desde o interior do restaurante é possível observar um pedaço da história de Roma, já que o mesmo foi construído com um solo de vidro que deixa à vista a milenar rua e o molde dos esqueletos, oferecendo um espetáculo pouco comum, mas de um valor didático significativo.


A rua está localizada na antiga cidade de Bovillae, que era a primeira encontrada saindo de Roma pela via Ápia, e pôde ser conservada em bom estado porque foi deixada de utilizar e foi recoberta de terreno e vegetação. 
 
 
 
Fonte: Terra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...